Filme Índigo em Vila do Conde

Filme Índigo em Vila do Conde

com Sem comentários

Sábado, dia 12 de Março de 2005, foi exibido o filme ÍNDIGO, na bela cidade de Vila do Conde, num auditório que nos foi cedido gentilmente pela Santa Casa da Misericórdia, a quem agradecemos vivamente.

O evento foi organizado por José Manuel Rodrigues e Maria Adelaide Bernardo que, com muito entusiasmo e dedicação, divulgaram e estiveram empenhados em que fosse possível a apresentação do filme no Norte do País, a cerca de 20 km da Cidade Invicta, o que se concretizou com enorme êxito. Estiveram presentes cerca de 200 pessoas e podemos contar com a presença de André Louro de Almeida que nos presenteou, mais uma vez, com a sua eloquência, sabedoria e amizade. Na mesa esteve ainda Alain Aubry, mais directo colaborador da Casa Índigo e pertencente também à PAN Portugal que, no final, falou da importância da mudança através do Calendário das Treze Luas.

A plateia, apesar de bastante heterogenia, mostrou muito interesse pela apresentação do filme e, no final, inúmeras questões foram postas, às quais se procurou responder. Estavam presentes professores, pais, educadores, profissionais da saúde e de outras áreas, jovens, algumas crianças e quase todos permaneceram até ao final, sem mostrarem qualquer tipo de cansaço, bem pelo contrário…

Podemos ver pelas imagens a animação e interesse que revelaram, comprando e lendo, inclusive, os livros Crianças Índigo – que esgotaram completamente (aguardamos, agora, a 3ª edição desta obra, que em muito tem ajudado os que a têm lido).

A apresentação do filme levantou inúmeras perguntas sobre quem são as crianças índigo, como identificá-las, quais as suas características, que mudanças poderão provocar, que educação necessitam… entre outras. O debate durou cerca de duas horas e, no final, terminou com uma calorosa salva de palmas. Foi sugerido que mais eventos destes deveriam ser organizados a bem das crianças e dos jovens deste país, com o fim de ajudar todos aqueles que lidam de perto com as questões da educação.

A Casa Índigo orgulha-se de poder promover tais eventos e agradece à gente do Norte e a todos os que contribuíram para que tenha sido possível, mais uma vez, a apresentação do filme ÍNDIGO com o debate e a presença de André Louro de Almeida, na Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde.

Bem hajam e que os anjos vos abençoem a todos.

Tereza Guerra

Subscreva a nossa newsletter