O Sincronário Da Paz

com Sem comentários

Uma Introdução ao Tempo Natural

O Sincronário de 13 luas de 28 dias é um calendário regular, harmonioso, que respeita os ciclos naturais. É formado por 13 períodos anuais, os quais, em vez de meses, são chamados de luas e todos eles têm 28 dias cada um, que é o ciclo biológico natural. O grande exemplo do ciclo biológico natural é o ciclo menstrual da mulher, que dura cerca de 28 dias.

A quebra da ordem natural, ocasionada pela adopção de um calendário que não respeita os ciclos naturais, lunares/solares, o calendário gregoriano de 12 meses, trouxe, como consequência, a separação do homem da informação natural, criando enfermidade mental e a perda de sua ressonância natural, precipitando-o para a dependência total e cega do materialismo. Estamos a sofrer actualmente essas consequências da filosofia do calendário de 12 meses afirma que “tempo é dinheiro”, quando numa cultura de Paz, Liberdade, Respeito e Criatividade, “Tempo é Arte”, “Tempo é Vida”.

No momento em que a consciência ecológica toma corpo, é urgente que a humanidade volte a se conectar com o entorno natural, para restabelecer-se a si mesma e restabelecer a ordem natural alterada. Culturas primitivas como a cultura Maia, legaram-nos sistemas de calendários que seguem o ritmo cíclico natural e orientam o homem para que ele possa recuperar a sua ressonância. A vivência da comunhão com a ordem cíclica natural, leva-nos a recuperar as faculdades perdidas, a viver em paz e harmonia interior, em saúde e crescimento, de acordo com o plano da inteligência universal.

É nesta frequência, chamada Frequência 12:60 que é uma frequência artificial do tempo, que está vivendo o ser humano. Ela é produzida pelo calendário gregoriano que rege o nosso dia-a-dia e que tem 12 meses irregulares, com números diferentes de dias nos meses de 28, 29, 30 e 31 dias, que não representam os ciclos naturais) e pelo relógio mecânico, agora digital, que nos mantém prisioneiros na terceira dimensão, marcando horas de 60 minutos.

A consequência, para o ser humano, de viver fora da sua frequência natural, é que somos os únicos seres do planeta que precisamos pagar para nascer, pagar para viver e pagar para morrer, o que não acontece com outros seres existentes em todo o Universo.

Com isso criámos uma sociedade completamente materialista, dominada pela cultura do dinheiro, pelas máquinas, pelas bolsas de comércio e outras, bem como somos nós que estamos provocando todos os tipos de desequilíbrios existentes, como guerras absurdas; contaminação atmosférica criminosa; produção de armas e bombas destrutivas para matar os nossos próprios irmãos; desigualdades sociais gritantes; utilização de drogas que causam dependência física e psíquica; consumismo absurdo, com desperdício criminoso de recursos naturais; construção de cidades gigantescas, que se tornam cada vez mais inabitáveis e todos os demais problemas que conhecemos.

Frequência Natural 13:20

Tzolkin - Frequência Natural 13:20A frequência 13:20 é a frequência natural para todos os seres da galáxia, em que se vive em harmonia com a natureza e, por isso, nada lhes falta e não há desequilíbrio entre eles.

Ela é 13:20 porque é formada por ciclos naturais, sendo os dois principais o 13 e o 20, que representam os 13 tons galácticos da criação (as 13 luas do calendário) e as 20 frequências solares. É preciso respeitar os ciclos naturais se quisermos viver em harmonia com a natureza e 13:20 é a nossa frequência natural.

Neste sincronário estão os dois aspectos do tempo: o físico ou material e o energético ou espiritual.

Aspecto físico ou material: são os dias da semana e os dias de cada lua. Aspecto energético ou espiritual: são as energias solares e galácticas que se fazem presentes cada dia, formadas por cinco dos 20 selos solares e por dois dos 13 tons galácticos.

O tempo natural é um aspecto da existência que é prontamente observável. Ele é encontrado dentro dos ciclos da natureza. Os ciclos do tempo natural continuam transcorrendo interminavelmente. Tudo o que precisamos fazer é nos sintonizarmos com os ciclos e seguirmos com eles. Os ciclos naturais do tempo são:

O DIA:
A Terra gira em torno do seu eixo para criar o dia e a noite;
A LUA:
A Lua gira em torno da Terra através de suas fases cíclicas. Este aspecto varia entre os tempos aparente e actual, de 27 e 29 dias. Portanto, o período adoptado para o ciclo lunar é de 28 dias; e
O ANO:
A Terra gira em torno do Sol em 365 dias. Quando você divide o ano pelo número de luas, você obtém 13 luas de 28 dias cada, mais um dia extra.

Cada lua constitui-se em 4 semanas perfeitas de 7 dias cada uma. Cada ano tem 52 semanas perfeitas. Cada semana de cada lua e de cada ano começa num “Dali” e termina num “Sílio”. Estes são os ciclos que governam os aspectos físicos da vida.

Para encontrar os aspectos espirituais do tempo, devemos considerar o firmamento. A “estrela” mais brilhante no céu, não é uma estrela, mas sim o planeta Vénus, que possui um ciclo de 260 dias. Os antigos maias referiam-se a este ciclo de Vénus como o “Tzolkin” ou o Calendário Sagrado. Em conformidade com eles, o “Tzolkin” é constituído por pequenos ciclos de 13 e 20 dias cada um, formando um ciclo de 260 dias.

Os nossos corpos são também codificados com os ciclos naturais do tempo. Homens e mulheres são reciclados a cada 28 dias por um ciclo denominado biorritmo. Nós possuímos 13 juntas em nossos corpos, que nos proporcionam o movimento, e 20 dedos nas mãos e nos pés. Nós somos a personificação do sagrado tempo natural.

Mude a Sua Mente, Mude o Seu Tempo!

Alain Aubry

 

Subscreva a nossa newsletter