Home > Artigos > Educação > Os Pediatras Estão Prescrevendo “Playtime”

Os Pediatras Estão Prescrevendo “Playtime”

Uma Mensagem do Pediatra: As Crianças Precisam de Mais tempo de Brincadeira!

É fácil ignorar o poder do jogo no desenvolvimento de nossos filhos. No entanto, jogar oferece muito mais do que apenas fazer palhaçadas e sair a movimentar-se. No mundo de hoje, o tempo de recreio (Playtime) é essencial. Permitir que as crianças tenham muito tempo para brincar é fundamental para desenvolverem habilidades que os nossos filhos precisam para se adaptarem em um mundo cada vez mais complexo.

No final do verão, a Academia Americana de Pediatria (American Academy of Pediatrics – AAP) deu um passo significativo, que não só me surpreendeu quanto me encantou: eles encorajaram os pediatras a prescrever brincadeiras para crianças. A AAP está recomendando aos pediatras que se tornem defensores mais fortes do jogo, ajudando a educar e inspirar os pais a facilitar – e participar de – atividades lúdicas com os seus filhos. Crianças comuns precisam de mais tempo de brincadeira.

 

Eu Não Poderia Concordar Mais Com Isso

O tempo de jogo ajuda a construir habilidades sociais, emocionais, comportamentais e cognitivas nas crianças, desde a infância. O jogo baseado em movimento ajuda a proteger e melhorar a saúde física das crianças. Playtime aumenta a resiliência, a autorregulação emocional e comportamental. Playtime também reduz o risco de depressão e ansiedade e fortalece as relações de carinho e confiança entre pais e filhos.

 

Que Tipo de “Brincar” Exatamente?

Antes de ir mais longe para o que motivou a nova prescrição de recreio da AAP, vamos começar por definir o “jogo”. Playtime é divertimento, uma atividade alegre cheia de descoberta. É auto-motivador – surge dos interesses fundamentais, curiosidades e preferências da criança. Embora a brincadeira possa e deva ser apoiada e monitorada, de modo que as crianças estejam seguras, o tempo de brincadeira é melhor e mais eficaz quando não é dirigido ou controlado pelos cuidadores. Quando as crianças brincam, elas são livres para ir onde quiserem, imaginativamente falando.

 

Por Que a Necessidade de Prescrever Playtime?

A noção de crianças brincando soa como a coisa mais natural do mundo, não é? Então, como se acabou com a necessidade de pediatras prescreverem brincadeiras para crianças?

Houve uma diminuição acentuada no jogo e no aprendizado lúdico por muitos anos. Há muitas razões para isto. Cortes no orçamento e no tempo para o recreio, arte, música e educação física limitaram atividades lúdicas na escola. Tem havido uma mudança marcante para o foco na criação de habilidades nas crianças para o desempenho académico. Por um desejo bem-intencionado de ver nossos filhos terem sucesso, nós, como sociedade, colocamos ênfase crescente em atividades estruturadas destinadas a melhorar o desempenho académico. Os pais muitas vezes se sentem pressionados a matricular os seus filhos em tantas aulas formais de “enriquecimento” quanto os horários permitem.

 

As Crianças Estão Famintas Por Brincadeira

As crianças de hoje têm menos tempo para brincadeiras puras e não estruturadas. Pesquisas mostram que crianças entre 3 e 11 anos perderam 12 horas por semana de tempo livre. Há um vasto corpo de pesquisas mostrando os benefícios do tempo de brincar para o desenvolvimento das crianças.

 

Como o Tempo de Recreio Afeta o Cérebro de Uma Criança

Desde o início da vida, o brincar promove o desenvolvimento do cérebro – a criação de uma estrutura cerebral capaz de suportar toda a atividade neural necessária por toda a vida. Playtime também promove melhor função cerebral – o quão bem o cérebro realiza sua incrível variedade de tarefas.

Estudos mostram que o tempo de brincadeira pode afetar o desenvolvimento de áreas do cérebro usadas para pensar, raciocinar e interagir socialmente. Também parece estimular o crescimento de células cerebrais e regiões do cérebro usadas para processamento emocional e resolução de problemas.

 

Benefícios do Tempo de Recreio

O jogo permite que as crianças explorem, dentro da segurança de cenários de fantasia, questões da vida real, riscos, problemas e ideias. Isso lhes dá oportunidades para colaborar e se integrarem socialmente, com os seus pares, pais, cuidadores e professores.

Há uma quantidade de evidências científicas que mostram os benefícios do jogo para a saúde e o bem-estar social, emocional, físico e intelectual das crianças.

Playtime durante a infância alimenta o desenvolvimento do que é conhecido como nossas habilidades de funcionamento executivo. Nossas habilidades de funcionamento executivo incluem:

  • Como pensamos, raciocinamos, planeamos e tomamos decisões
  • Quão bem aprendemos e integramos o aprendizado em nossa memória
  • Como somos bem-sucedidos em adaptar os nossos pensamentos e comportamentos, com base no que aprendemos e experimentamos
  • A nossa capacidade de focar a nossa atenção e seguir em planos e metas de curto e longo prazo
  • A nossa capacidade de exercer autocontrole e autorregular as nossas respostas e comportamentos emocionais

As habilidades que se enquadram no funcionamento executivo nos equipam para navegar com sucesso no mundo de hoje, sermos responsáveis, integrarmo-nos bem na escola, formarmos relacionamentos saudáveis, levarmos vidas produtivas e significativas.

 

Um Olhar Mais Atento aos Benefícios do Jogo

O jogo melhora as habilidades de linguagem das crianças.
Um estudo descobriu que crianças em idade pré-escolar que foram incentivados a brincar com blocos com limitada direção dos adultos apresentaram ganhos mais significativos em nas suas competências linguísticas seis meses depois. Quando se trata de linguagem, brincar com brinquedos simples e tradicionais é melhor para promover habilidades de linguagem do que aparelhos eletrónicos, de acordo com pesquisas.

O jogo promove habilidades sociais e relacionamentos positivos.
Ao brincar com os outros, as crianças aprendem a negociar, cooperar e se comunicar de forma mais eficaz.

O brincar melhora a saúde emocional, a autoconsciência e o autocontrole.
O Playtime permite que as crianças explorem e expressem seus sentimentos, a partir da segurança de um mundo imaginário e fictício. Os estudos mostram que o tempo de brincadeira pode ajudar as crianças a aprender como lidar melhor com emoções fortes e desenvolver o autocontrole que ajuda a equilibrar sentimentos de impulsividade e agressividade. Também ajuda a manter a resposta ao estresse do corpo sob controle, oferecendo às crianças um poderoso amortecedor contra os efeitos físicos e emocionais do estresse.

 

Playtime Melhora a Saúde Física.

As crianças têm um amor natural e inato pelo uso de seus corpos. O movimento e o esforço físico do tempo de brincadeira proporcionam uma gama completa de benefícios de proteção. Rotinas regulares de brincadeiras físicas podem ajudar as crianças a manter um peso saudável e apoiar a saúde das crianças no desenvolvimento de sistemas cardiovasculares e imunológicos. Estudos mostram que a brincadeira em crianças melhora a sua coordenação, equilíbrio e flexibilidadereduz o risco de lesões também. O jogo físico pode ajudar as crianças a dormir melhor.

A ausência de brincadeira na vida das crianças pode ter consequências negativas para o seu desenvolvimento físico, emocional e intelectual. Pesquisas indicam que a falta de brincadeiras está ligada ao aumento da prevalência do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Como o relatório da AAP aponta, quando elas não têm brincadeira, as crianças perdem um amortecedor essencial contra o estresse. Menos protegido do estresse, o desenvolvimento das crianças – de sua função executiva e dos comportamentos sociais e emocionais que são tão importantes para a sua capacidade de navegar com sucesso pelo mundo – pode ser interrompido.

 

Jogar Equivale a Relacionamentos Saudáveis

Os cientistas descobriram que o brincar existe em muitas espécies animais, não apenas em humanos. O jogo social, em particular, existe em animais com cérebros semelhantes aos humanos e acredita-se que ele os ajude a desenvolver habilidades de sobrevivência. A nossa necessidade de brincar não é menos essencial para construir as habilidades que sustentam a nossa sobrevivência saudável.

Playtime é divertido, emocionante e delicioso para as crianças e diversão para os adultos também. Encorajar os nossos filhos a brincar abre um mundo de relacionamentos e conexões para outras pessoas e também para o senso de si mesmas.

Pense em todas as maneiras pelas quais as crianças exploram e desenvolvem relacionamentos durante o jogo. No jogo solitário, as crianças habitam mundos imaginários, onde eles experimentam papéis e relacionamentos que observam no mundo ao seu redor, desde atuar como uma mãe ou pai carinhoso até como os seus animais de estimação, até ser o professor à frente de uma sala de aula fingida. Ao brincar com outras crianças, as crianças estabelecem regras e normas. Elas colaboram para alcançar seus objetivos, seja construir uma torre de blocos ou coordenar um jogo de tag de lanterna no quintal. O jogo em grupo dá às crianças a oportunidade de desenvolver habilidades sociais que persistirão por toda a vida.

Os pais estão próximos, para que as crianças se sintam seguras, autodirigidas, mas a brincadeira livre é essencial para estimular a autoconsciência de nossas crianças sobre as suas preferências, emoções e interesses. De muitas maneiras, os nossos filhos aprendem quem são através do jogo.

 

Somos os Primeiros Companheiros de Brincadeira das Nossas Crianças

Os pais tem um papel importante e ativo na vida de seu filho. Todo o arrulhar, sorrir e fazer caretas que fazemos com nossos recém-nascidos estabelece o vínculo do primeiro relacionamento de nosso filho e desenvolve as suas habilidades fundamentais de comunicação. As atividades de ida e volta com as quais nos envolvemos – desde jogos de esconde-esconde até risos e sons – estão construindo as suas habilidades linguísticas, ajudando-as a aprender a se expressar e a entender como se relacionam com o mundo e com outras pessoas. Brincar com os nossos filhos ajuda-os a aprender a ser gradualmente mais independentes, mais curiosos sobre o mundo e mais capazes de regular seu comportamento.

Como pais, nós também servimos como um porto seguro para nossos filhos enquanto eles experimentam, e assumem riscos produtores de crescimento nas suas brincadeiras. Qualquer pai que ajudou uma criança a subir uma escada no parque infantil ou aprender a andar de bicicleta sabe como é essa experiência e como é importante desenvolver a autoconfiança e o senso de identidade de uma criança, além de novas habilidades físicas.

Pais e cuidadores que brincam com crianças compartilham toda uma série de emoções positivas e afirmativas da vida – alegria, humor, satisfação, surpresa. Quando você brinca com o seu filho, conhece melhor o seu filho e vê o mundo do ponto de vista deles. Pesquisas mostram que os pais que leem e brincam com seus filhos desenvolvem conexões mais fortes e também experimentam menos estresse relacionado aos pais.

 

Não Espere Que o Pediatra do Seu Filho “Prescreva Brincadeiras”

Incentivar o Movimento em Todas as Idades

A atividade física lúdica é um poderoso portal de descoberta para crianças, uma forma de conhecer seus corpos e habilidades físicas. Também incentiva habilidades de enfrentamento mais fortes, reduz suas respostas físicas ao estresse e reduz os riscos de depressão.

Apoie o Jogo Livre e o Jogo Guiado

O jogo livre envolve crianças que jogam independentemente, sozinhas ou com colegas, em um ambiente seguro. O jogo guiado envolve pais e responsáveis diretamente no jogo, no nível de seus filhos. Ambos são críticos para o desenvolvimento das crianças.

Reduzir o Uso de Eletrónicos

Usar dispositivos eletrónicos não é o mesmo que “jogo real”. Assistir à TV, jogar em um smartphone ou tablet é uma forma passiva de recreação – não o jogo ativo, criativo e social que mais beneficia o desenvolvimento de nossos filhos. O estabelecimento de um horário amplo, regular e sem uso de aparelhos eletrónicos para as crianças os incentiva a brincar.

Deixe as Crianças Liderarem

Como pais, é crucial deixarmos que nossos filhos sejam os impulsionadores de suas próprias experiências de brincadeira. Ser receptivo, encorajador, envolvente e entusiasmado é mais útil para nossos filhos do que assumir o controle e direcionar o seu jogo para eles.

Leia, Conte Histórias e Cante

Quer estimular a curiosidade, a criatividade e as habilidades linguísticas do seu filho e encantá-lo ao mesmo tempo? Essas atividades simples e alegres estão no centro da rotina lúdica de uma criança. Combine o canto com movimento, como bater palmas e mexer os pés ou dançar. Além disso, use a leitura e a narrativa como um trampolim para as crianças se envolverem em brincadeiras imaginativas espontâneas.

Ouça, Fale e Responda

O tipo de jogo que mais ajuda nossos filhos não é complicado. Não requer brinquedos caros e extravagantes. Ele não precisa acontecer em uma aula e não requer horas de tempo livre ininterrupto. Uma brincadeira positiva e benéfica para o desenvolvimento pode acontecer a qualquer momento. Ser receptivo aos seus sons e, eventualmente, às suas palavras, encorajá-los a falar conosco e ouvi-los quando o fazem – ajuda no desenvolvimento social, emocional, cognitivo e comportamental de nossos filhos.

Deixe-se Divertir

Brincar com crianças pode ser uma das grandes alegrias da paternidade, uma chance de experimentar o mundo novamente como novo e excitante através de seus olhos. Brincar com nossos filhos nos permite conhecê-los melhor como indivíduos únicos. Permite-nos comunicar melhor com eles à medida que crescem em si mesmos, cada vez mais independentes. Cria laços que durarão por toda a vida.


Sobre Nicole Beurkens

A Dra. Nicole Beurkens, PhD, é uma psicóloga clínica, nutricionista e educadora especializada em abordagens integradoras do desenvolvimento infantil e das condições de saúde mental. Sua clínica oferece serviços de avaliação e tratamento para famílias.

Além de seu trabalho como terapeuta, o Dra. Beurkens é consultora, pesquisadora, autora de best-sellers, palestrante e fonte de mídia especializada. Sua missão é garantir que pais e profissionais tenham acesso a opções não medicamentosas baseadas em pesquisa para ajudar crianças com desafios de atenção, ansiedade, humor e comportamento a atingirem seu maior potencial.


Fonte: Dr. Nicole Beurkens – Psicóloga Holística Infantil
Ver Artigo Original

Artigo reproduzido e traduzido com autorização.

Subscreva a nossa newsletter